© 2021, Grupo Matula Teatro

Jogos Cortazianos

Release

A Intervenção Urbana JOGOS CORTAZIANOS – Instruções para Desaparecer compõe uma trilogia do Grupo Matula Teatro que inclui também dois espetáculos de palco, todos criados a partir da obra do escritor argentino Júlio Cortázar, cuja obra é fortemente caracterizada pelo realismo fantástico. Com uma trajetória que inclui dezenas de apresentações, a Intervenção já foi realizada em terminais de ônibus, em praças de pequenas e grandes cidades, em feiras livres, em áreas de alimentação e convivência, em calçadas estreitas e em grandes calçadões. Realizou circulação através do Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura (Proac Editais 2015) e do Circuito Sesc de Artes (2016), além de participação em festivais. 

SINOPSE

A Intervenção Urbana JOGOS CORTAZIANOS – Instruções para Desaparecer acontece em espaços de grande circulação de pessoas como calçadões, praças, feiras, terminais de ônibus e etc. Os jogadores recebem estímulos sonoros através de fones de ouvido, e reagem propondo composições inusitadas com o espaço. Um corpo que dança em meio às barracas de frutas, um grupo de pessoas vestidas com macacões verdes de olhos fechados no calçadão, uma música compartilhada com os passantes, balões verdes que surgem e desaparecem, uma pergunta inesperada: tudo é convite para pequenas suspensões do cotidiano. A atenção para um detalhe que pode revelar o fantástico e o poético que habitam o caminho de todos os dias.

FICHA TÉCNICA

Direção: Flávio Rabelo 

Criação: Alice Possani, Bruno Cardoso, Erika Cunha, Flavio Rabelo e Melissa Lopes

Jogadores: Alice Possani, Erika Cunha e convidados

Produção: Carolina Baraglio e Dudu Ferraz

Realização: Grupo Matula Teatro

Classificação Etária: Livre

Duração: 90 minutos.

Sobre Cortázar

Julio Cortázar (1914-1984) foi um escritor argentino, mestre da história, da prosa poética e criador de romances importantes que inauguraram uma nova maneira de fazer literatura no mundo hispânico, quebrando os moldes clássicos através de narrativas que escapam à linearidade temporal. 

Um de seus livros mais icônicos é Rayuela (O Jogo da Amarelinha), de 1963, que permite várias leituras a partir de decisões que devem ser tomadas pelo leitor a partir de orientações do próprio autor. Um livro-jogo, que transforma o leitor em co-autor da obra, na medida em que permite inúmeras leituras possíveis. 

A obra de Cortázar é muitas vezes definida como realismo mágico, transitando entre o real e o fantástico, e flertando com o surrealismo. É considerado como um dos autores mais inovadores e originais de sua época.