© 2021, Grupo Matula Teatro

Dudu Ferraz

É produtor cultural, compositor e músico. Desenvolve projetos culturais em diversas linguagens artísticas, sendo integrante de diversos grupos e coletivos.

É integrante do Grupo Matula Teatro, atuando como produtor e compositor de trilha sonora do espetáculo “Como se Fosse” que estreou em 14 de março de 2020 no Sesc Jundiaí/SP e ganhou nova versão em formato live  no canal do Youtube do Sesc SP durante a pandemia da Covid19.

Gestor do Ponto de Cultura Quintal Garatuja na região do Jardim Nova Europa em Campinas/SP, um espaço cultural que promove eventos e práticas artísticas e culturais  em parceria com coletivos de diversas áreas do conhecimento. É também artista/produtor do Coletivo Passarinha no qual atua como compositor, autor, contador de histórias e intérprete no projeto “Histórias que a Passarinha me Contou”, que já circulou pelos estados de São Paulo, Ceará e Piauí, principalmente em escolas de educação infantil e centros culturais.

Integra o Núcleo Gestor do Feverestival (Festival Internacional de Teatro de Campinas) desde 2019. Também integrou a equipe de produção do FEIA (Festival do Instituto de Artes da Unicamp) em 2018. Foi idealizador e organizador da MUMAI (Mostra Unificada de Música Autoral Independete) em 2018, que aconteceu no Barracão Teatro. É artista integrante do Coletivo Barbante criado por um grupo de musicistas e músicos durante a pandemia da Covid19 com objetivo de realizar ações coletivas e buscar novas formas de renda para o setor.

Fundador do Coletivo de Compositores D’Aldeia que lançou em 2018 o álbum Terra de Ninguém, no qual atuou na direção artística, arranjos, gravação de intrumentos (voz, violão, guitarra e cavaquinho) e como compositor, contribuindo com duas canções próprias e duas em colaboração com integrantes do grupo.

Em 2017, participou da montagem do espetáculo “Por Toda Parte, O Sertão” inspirado na obra de Guimarães Rosa, dirigido pela Prof.Dra Regina Machado que continha no repertório a canção “Cajueiro” composta por Dudu Ferraz e Thaís dos Santos. Em 2018 o mesmo grupo criou o espetáculo “Claro Escuro” que tinha duas canções de sua autoria: “Remarcontramaré” e “Mar e Rio”. Foi produtor da Associação Cultural Inventor de Sonhos entre 2017 e 2018 que participou do 16 ° Festival Internacional de Títeres em Posadas, Argentina em setembro de 2018. É co-autor do livro “Meu Pai Foi Ferroviário 8” lançado em 2016 pela Associação Preservação da Memória da Companhia Paulista em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura de Campinas e Usina Geradora de Cultura.Entre 2016 e 2018 atuou como músico e compositor da trilha sonora ao lado de seu irmão Gustavo Ferraz na peça “A cigarra, a formiga e a tal Joaninha” do Grupo Já de Teatro da cidade de Jaguariúna/SP .