Alice Possani

Alice

Alice Possani é atriz, professora de teatro e Doutoranda em Artes da Cena pela UNICAMP. Integrante do Grupo Matula Teatro desde sua fundação, é atriz de diversos espetáculos do grupo, com destaque para Gran Circo Máximo (2008), Chuva Pasmada (2010), Agda e Passagens (2011) e Imago – Uma lua n’água (2014).   É diretora do espetáculo Exilius, que também integra o repertório da companhia e que estreou na Itália em 2012. Junto com o Matula, vem se apresentando em festivais, mostras e eventos no Brasil e no exterior, com destaque para Alemanha, Portugal e Chile.

Participou dos trabalhos de arte-educação desenvolvidos pelo grupo: oficinas de teatro para moradores de rua e Teatro Cidadão – repensando a organização comunitária. Em parceria com a Ong ACADEC atuou como arte-educadora no Projeto Adolescentes em Cena, realizando oficinas de teatro para adolescentes internos da Fundação Casa e no Projeto Drama nas Escolas, direcionado a alunos de escolas municipais de Campinas; e participou da Ong Mano a Mano, realizando oficinas de arte-educação junto a meninos em situação de rua.

Em 2009 realizou a seleção e preparação de elenco do curta de ficção SP Railway, do premiado diretor e roteirista Marcelo Muller, que estreou no Festival Internacional de Curtas de São Paulo.

            Trabalhou como juri e debatedora em Festivais e Mostras de Teatro do interior paulista, como o Festival de Teatro de Pirassununga (2007 e 2008), Mostra de Teatro de Americana (2008) e Mostra de Teatro de Santa Bárbara (2011 e 2012).

             É uma das gestoras do Espaço Cultural Rosa dos Ventos, que desde 2008 abriga as práticas do grupo Matula e de outros coletivos teatrais em Campinas, SP.

            Foi professora de interpretação do Curso Profissionalizante de Teatro do Conservatório Carlos Gomes, em Campinas, onde também dirigiu diversas montagens de formatura (2008 a 2014).

            Atualmente é professora da Escola de Artes de Hortolândia, responsável pela disciplina Montagem I do Curso Técnico em Teatro.

Erika Cunha

Erika

Doutora em Artes da Cena, pela Unicamp (2016). Bacharel em Interpretação Teatro/Artes Cênicas, USP (2006).

É atriz e pesquisadora do Grupo Matula Teatro desde 2011, atuando em diversos espetáculos e intervenções: UM CONTO INFINITO (2016), JOGOS CORTAZIANOS (2015), IMAGO – UMA LUA N’ÁGUA (2014), CIRCO K (2012), EXILIUS (2011) e PASSAGENS (2011).

Como atriz também trabalhou em SONHO DE ÍCARO (2010), NE ME QUITTE PAS (2006 – apresentado em São Paulo, Berlim/Alemanha e Padova/Itália), VAZANTES… (2004- 2007, vencedor do prêmio Nascente – de melhor interpretação), CARPE DIEM (2004), PAR QUÊ? (2003), QUARTETO EM DIAGONAL (2003), entre outros.

Dirigiu “A VOLTA DO MUNDO É GRANDE” da Cia Benedita na Estrada (2016), o solo ISABELITA (2007) e o duo BRASIL MENINO (premiado com o FICC – Fundo de Investimento a Cultura de Campinas – 2008/2009) da Cia Berro d’agua de Campinas-SP, grupo que fundou e fez parte de 2007 a 2011.

Criou o desenho de luz dos espetáculos: Ô DE CASA, Ô DE FORA – Daniel Costa (2014 – com Alice Possani), O CORPO É DE PLÁSTICO? – Daniel Costa (2013), ESCAFANDROS – Teatro de Tábuas (2010), ISABELITA – Cia Berro d’agua (2007), BRASIL MENINO – Cia Berro d’agua (2009), QUARTETO EM DIAGONAL , do show CELEBRASONHOS de João Arruda (2009).

Integrou o Núcleo FEVERESTIVAL – Festival Internacional de Teatro de Campinas – de 2008 a 2015.

Como produtora trabalhou com a Boa Companhia, Le Plat du jour e Circo Minimo.

Melissa Lopes

Melissa

É atriz-pesquisadora, professora e doutora em Artes da Cena pela UNICAMP, onde também realizou seu mestrado (2006) e graduação (2001). Realizou parte de seu doutorado na Universidade Nova de Lisboa, em Portugal (bolsa BEPE/FAPESP de estágio no exterior) e atualmente também é assistente de editoração da Revista Ilinx, publicação on line do LUME- UNICAMP.

Iniciou-se em teatro na cidade de São Paulo, frequentando o curso profissionalizante do Célia Helena Teatro–escola, se profissionalizando como atriz em junho de 1996.

Integrante do Grupo Matula Teatro desde sua fundação (2000) recebeu nos primeiros anos orientação em metodologia de Mímesis Corpórea com o Grupo LUME-Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp. Participou dos espetáculos “Pedra de Coração”, “Versão Vida Cruel”, “Vizinhos do Fundo”, “Gosto de Terra” e “Querência”. Atualmente integra o elenco dos espetáculos “Gran Circo Máximo”, da Intervenção Poética “Passagens” e da Performance Cênica “Houve essa vida ou inventei?” E atua nas co-produções entre o Grupo Matula Teatro e a Boa Companhia, “Agda”, “Circo K” e “Mulheres Violentas” (este último, co- produção Grupo Matula Teatro, Boa Companhia e Internacional Invenciones).

Paralelamente, pesquisa desde 1999 a linguagem da Máscara (Neutra, Commedia Dell Arte, Larvárias e Expressivas). Com Tiche Vianna e Esio Magalhães (Barracão Teatro) criou os espetáculos O homem da Capa Preta, O Meteoro, Baú do Milão e Freguesia da Fênix e integrou a pesquisa “Dramaturgia da Máscara”, que foi realizado com o patrocínio do Prêmio Myriam Muniz/Funarte (2007). Na área de Máscara também ampliou sua formação com os seguintes profissionais Claudia Contim (Scuola Sperimentale Dell’ Atore – Itália), Familie Flöz ( Sommer Akademie, em San Giusto na Itália), Máscaras Larvárias com Fernando Linares (Teatro Universitário da UFMG), Heloísa Cardoso (Unicamp) e Máscaras Balinesas com Fabiana Santos (Rio de Janeiro).

Como professora já trabalhou em diversas instituições de ensino, ministrando aulas de teatro para crianças, jovens e 3ª idade. Atuou como assistente de direção em montagens realizadas pelos alunos da graduação do departamento de Artes Cênicas, da UNICAMP.

Participou também dos trabalhos comunitários desenvolvidos pelo grupo: Oficinas de teatro para moradores de rua; Teatro Cidadão repensando a organização comunitária, realizado com representantes e conselheiros do Orçamento Participativo de Campinas; e oficinas para mulheres das periferias de Campinas.

De 2007 a 2008 atuou como professora de Interpretação no Célia Helena Teatro-escola e de 2008 a 2010 foi Coordenadora de Graduação e professora de Jogos Teatrais e Improvisação Corporal na Escola Superior de Artes Célia Helena.

Atualmente tem ministrado cursos intensivos na área de Interpretação Teatral, entre eles, destacam-se as experiências realizadas nos cursos de Artes Cênicas da Universidade Estadual da Amazônia (UEA), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), na Escola SP, no curso de bacharelado da Universidade de Évora (Portugal). Já realizou cursos, atividades artísticas e acadêmicas (congressos nacionais e internacionais), pelo Brasil e nas capitais estrangeiras Buenos Aires (Argentina), Viena (Áustria), Berlin (Alemanha), Ilha de Santiago (Cabo Verde/África), Lisboa (Portugal), entre outros.

Na televisão atuou na minissérie “Futebol no Sangue”, transmitida pela Rede Bandeirantes, de Campinas (2003). No cinema participou do curta-metragem Só não tem quem não quer (2007), direção de Hidalgo Homero e do documentário Acontecências (2009), de Alice Vilela e Hidalgo Homero, ambos produzidos pelo Laboratório Cisco.

Quesia Botelho

Quesia

Produtora e atriz do Grupo Matula Teatro e da Cia Histriônica de Teatro; formada em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Atua nos espetáculos O CORTIÇO, direção Marcelo Lazzaratto e Grácia Navarro, HAPPY END, direção Verônica Fabrini e Wanderley Martins e SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO, direção Neyde Veneziano. Atuou também nas peças FESTA DE NOIVADO, direção Grupo Matula Teatro, OS CEGOS, direção de Eduardo Brasil, RELICÁRIO, direção de Ana Clara Amaral, SOB MEUS PÉS, O FIO DAS MISSANGAS, SACRA FOLIA entre outras. Participou de cursos de formação com Grupo Luna Lunera, Grupo Matula Teatro, Lume Teatro, Norberto Presta, Sérgio Penna, Jussara Miller, entre outros. Premiada com a cena NAMORICO DE PORTÃO, direção Eduardo Brasil, na V Mostra de Cenas Curtas Fábrica das Artes 2011, em Americana. Trabalhou como produtora do no I ENCONTRO DE CHORO DE CAMPINAS (2015), FEVERESTIVAL (Festival Internacional de Teatro de Campinas) em 2014 e 2015. Foi bolsista de Iniciação Científica da FAPESP 2011/2012, com orientação de Renato Ferracini.

Cursou o INNOVO Conservatório de Teatro Físico, em 2009, na Califórnia (EUA). É formada em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), pós-graduada especialista em Saúde Mental pelo Centro de Especialidades em Terapia Ocupacional (CETO), e trabalhou no Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira.

Thaís Tkatchuk

Thaís

Produtora do Grupo Matula Teatro, é mestranda em educação, bacharelada e licenciada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Campinas.

Cursou Produção e Direção de Arte em 2013, curso oferecido pelo Grupo Matula Teatro, onde compôs o grupo de produtores do espetáculo “Sobre Linhas e Vãos” (Grupo Poéticas da Casa II). No mesmo ano, atuou como produtora da Cia Tugudum, assinando principalmente a produção executiva do projeto contemplado pelo FICC 2012/2013, “Dança Uma História?”. Atuou também como assistente de produção nos filmes de curta metragem de ficção “Aluga-se” e “Ao redor da mesa”, e como coordenadora de produção, atuou no Projeto de pesquisa audiovisual sobre a história da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, projetos desenvolvidos pela Liquidificador Produções e contemplados pelo FICC 2012/2013.

Na área da educação atuou como arte-educadora no projeto Sementes Crioulas (Subprojeto “GERMINAR-BROTAR-FRUTIFICAR”, pertencente ao projeto “UNICAMP +Escola Pública = Novos Talentos”, aprovado em Edital nº003/2011 da CAPES – Novos Talentos), como monitora no Programa de Desenvolvimento e Integração da Criança e do Adolescente (Prodecad Unicamp), na Escola Curumim (método Freinet) e no Espaço Brincar do Sesc Campinas. Como professora de educação infantil, desenvolveu atividades na Creche Bento Quirino no ano de 2013.

Durante a graduação, atuou como secretária do Centro Acadêmico de Pedagogia e como Coordenadora da Executiva Estadual de Estudantes de Pedagogia, organizando eventos como XIV EPEPe (Encontro Paulista de Estudantes de Pedagogia) – UFSCar 2007, da I Semana da Educação – FE/Unicamp 2007 , II Semana da Educação – FE/Unicamp 2008, III Semana da Educação – FE/Unicamp 2009 e XVII EPEPe (Encontro Paulista de Estudantes de Pedagogia) – Araraqura 2011. Na Faculdade de Educação- Unicamp, atuou assistente de coordenação no Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino e Diversidade (LEPED) e como auxiliar docente em disciplinas da Graduação de Pedagogia, tendo como responsável a Profa. Dra. Maria Teresa Eglér Mantoan.

É membro do grupo de Cultura Popular Caixeiras das Nascentes, o qual atua como percussionista e produtora desde 2010.

Bruno Cardoso

BRUNO

Ator e Designer Gráfico do Grupo Matula Teatro desde 2010, é responsável pelo desenvolvimento de projetos gráficos, áudio visuais, entre eles documentários e séries sobre cultura, e também mídias sociais do grupo, o mesmo acontece na criação de toda identidade visual do Feverestival – Festival Internacional de Teatro de Campinas desde 2012. Bruno também é criador e editor de conteúdos para canais da internet. Desenvolveu trabalhos na área para diversos grupos como Cia Fios de Sombra, todos os espetáculos em repertório do bonequeiro uruguaio Rafael Curci, Boa Companhia, Teatro de Tábuas, VID Estúdio Criativo, entre outros que formam um portfólio dedicado a produções teatrais. Formado em artes cênicas pelo Conservatório Carlos Gomes, seus projetos teatrais mais recentes são “Jogos Cortazianos – intervenção urbana” dirigida por Flávio Rabelo, “Ofélia Morta”, direção de Douglas Chaves e “IMAGO – uma lua n’água”, direção da chilena Claudia Echenique.